Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Imobiliário Requerimento de rescisão contratual com sub-rogação de ônus, cumulado com perdas e danos e tutela antecipatória

Petição - Imobiliário - Requerimento de rescisão contratual com sub-rogação de ônus, cumulado com perdas e danos e tutela antecipatória


 Total de: 15.244 modelos.

 
Requerimento de rescisão contratual com sub-rogação de ônus, cumulado com perdas e danos e tutela antecipatória.

 

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA ..... VARA CÍVEL DA COMARCA DE ....., ESTADO DO .....

....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., por intermédio de seu (sua) advogado(a) e bastante procurador(a) (procuração em anexo - doc. 01), com escritório profissional sito à Rua ....., nº ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., onde recebe notificações e intimações, vem mui respeitosamente à presença de Vossa Excelência propor:

AÇÃO ORDINÁRIA DE RESCISÃO DE CONTRATO C/C PERDAS E DANOS E PEDIDO DE TUTELA ANTECIPADA

em face de

....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos.

DOS FATOS

1. As partes celebraram contrato particular de compromisso de compra e venda com sub-rogação de ônus, em ..... de .......... de ....... (doc. ....), através do qual os Requerentes alienaram um imóvel hipotecado à Caixa Econômica Federal, constituído de uma casa sob n.º ......., tipo ...., do Bloco n.º ....., sito no Conjunto Residencial ............., com área do terreno de ............. m2, área construída de .........m2 e direito de uso exclusivo numa área não construída do terreno, equivalente a ..........m2, localizada de frente para a rua .........., n.º ........, com os demais dados constantes da matrícula n.º ......., do Cartório do Registro de Imóveis da ....ª Circunscrição desta Capital (doc. ...).

2. Quitado o preço combinado (doc. ....), a Requerida tomou posse do imóvel em ..... de ........ de ........, encontrando-se, desde então, obrigada ao pagamento das prestações junto ao Agente Financeiro, assim como das taxas de condomínio e do IPTU (Cláusula Décima Primeira), a fim de que, ao final dos pagamentos das parcelas, pudesse transferir o imóvel, em definitivo, para o seu nome.

3. Ocorre que a partir de ..... de ......... de ........., a Requerida deixou de efetuar os pagamentos junto ao Agente Financeiro, totalizando ....... prestações em atraso até .... de ........ último, correspondente a R$ ..........., valor este já corrigido e acrescido de juros moratórios (doc. ....).

4. No que concerne às taxas de condomínio, a Requerida também encontra-se inadimplente desde ....... de ......... de ........, totalizando ......... meses de atraso (até o mês de ........ último), correspondente a R$ .........., já acrescido de correção monetária e juros moratórios (doc. ....), além das custas processuais e honorários advocatícios devidos pelo ajuizamento de Ação de Cobrança pelo Condomínio contra os ora Requerentes, perante a ........ Vara Cível desta Capital (doc. ....).

5. Na verdade esta já é a segunda ação que o Condomínio promove tendo como objeto a cobrança de prestações inadimplidas pela Ré. A primeira encontra-se arquivada perante a ....ª Vara Cível desta Capital (Autos n.º .......), em razão de acordo celebrado com o primeiro Autor (doc. ...).

6. Em razão destes problemas, em .... de ......... último os Autores promoveram a notificação judicial da Ré, a fim de que pagasse os débitos, sob pena da aplicação das sanções previstas em lei (doc. ....). Tendo a mesma permanecido inerte, outra alternativa não restou aos Autores senão a propositura da presente ação.

7. Como se vê, Exa., à medida que o tempo passa, a Requerida, pelo uso indevido do imóvel, macula o bom nome e a reputação dos Autores junto ao Agente Financeiro e ao Condomínio e, de conseqüência, junto aos órgãos de informação de crédito.

DO DIREITO

1. Expostos os fatos, sem o menor distanciamento da verdade, cabe esclarecer preliminarmente os fundamentos que sustentam o direito dos Autores à antecipação de parte dos efeitos da tutela jurisdicional invocada, ante a iminência de danos irreparáveis decorrentes da permanência da Requerida no imóvel já citado.

2. O artigo 273, inciso I, do Código de Processo Civil prescreve:

"Art. 273. O juiz poderá, a requerimento da parte, antecipar, total ou parcialmente, os efeitos da tutela pretendida no pedido inicial, desde que, existindo prova inequívoca, se convença da verossimilhança da alegação e:
I - haja fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação;"

3. À luz deste dispositivo, o pedido principal consiste em rescindir o contrato, cumulativamente com a imposição das perdas e danos à Ré pelos inadimplementos acima noticiados.

4. Tendo em conta que os efeitos da tutela pretendida no pedido principal podem ser antecipados total, ou parcialmente, invoca-se o artigo citado para requerer a desocupação do imóvel pela Requerida, até que seja examinado, no mérito, em ampla cognição, a sua culpa pelo descumprimento do contrato de compromisso compra e venda.

5. A tutela antecipada é o único instrumento do qual dispõem os Autores para fazer valer seu direito. A prova inequívoca a que faz referência o artigo 273, inciso I, do CPC, está cristalizada no noticiado instrumento particular de compra e venda, assim como nos extratos dos saldos devedores junto ao Agente Financeiro e ao Condomínio, além da notificação judicial acostada à presente.

6. O outro requisito exigido para a concessão da tutela antecipada - verossimilhança da alegação - encontra amparo nos demais documentos que acompanham a peça inicial, assim como no contrato celebrado, em sua Cláusula ........., que estabelece: "A falta de pagamento de 3 (três) prestações junto ao Agente Financeiro, antes de se ultimar a transferência definitiva para a ora compradora, é motivo de rescisão e de imediata execução do presente contrato, na forma da lei [...]".

7. Com relação ao fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação, cumpre destacar que o indeferimento da antecipação parcial da tutela acarretará num crescente prejuízo aos Autores, pois a Ré encontra-se em estado de inadimplência desde o mês de ........... de ........, no que diz respeito às prestações devidas ao Agente Financeiro, sem ter tomado qualquer iniciativa de negociação do saldo devedor. O mesmo se diga em relação ao Condomínio que, como já dito, vem promovendo ações de cobrança contra os Autores.

8. Portanto, se icto oculi constata-se o inadimplemento das prestações devidas ao Agente Financeiro e ao Condomínio, assim como a previsão de rescisão contratual no caso de atraso na quitação de três parcelas, não há qualquer sentido lógico em se permitir que os Autores permaneçam nesta situação.

9. Máxime em se considerando que outro não será o desfecho desta pendência senão a decretação da rescisão do contrato. A propósito, "A tutela antecipatória do direito subjetivo material deve existir porque se alguém tem o direito de obter exatamente aquilo que tem direito de (CHIOVENDA), o processo há de fornecer-lhe meios para que a entrega do direito ocorra logo, de imediato. O meio processual - tutela antecipatória - tornará possível a pronta realização do direito que o autor afirma possuir". (SANTOS, Antônio J. da Silva, A Tutela Antecipada e a Execução Específica; São Paulo; 1995; Copola Editora, 1ª ed; p. 20)

10. Nesse passo: "É certo que o 'tempo' despendido para a cognição da lide, através de investigação probatória, é reflexo da própria existência do Estado e da necessidade que o mesmo se impôs de, antes de tutelar situações concretas, conhecer e reconhecer a existência do direito cuja titularidade se alega em juízo [...] a necessidade de tutelas rápidas e imediatas apareceu, com certeza, para remediar a ineficiência do procedimento ordinário e da própria administração da justiça [...] ninguém pode negar que determinadas pretensões, quando envolvidas em situações emergenciais, somente podem ser tuteladas com efetividade através de liminares ou mediante execução antecipada". (MARINONI, Luiz Guilherme; Efetividade do Processo e Tutela de Emergência; Sérgio Antônio Fabris Editor; Porto Alegre; 1994; p. 65/66).

Este doutrinador paranaense faz uma feliz abordagem dos malefícios causados pela prestação jurisdicional morosa:

"....se o tempo é a dimensão fundamental na vida humana, no processo desempenha ele idêntico papel, não somente porque, como já dizia Carnelutti, processo é vida, mas também, porquanto, tendendo o processo a atingir o seu fim moral com a máxima presteza, a demora na sua conclusão é sempre detrimental, principalmente às partes mais pobres ou fracas, que constituem a imensa maioria da nossa população, para as quais a demora em receber a restituição de suas pequenas economias pode representar angústias psicológicas e econômicas, problemas familiares e, em não poucas vezes, fome e miséria". (ob cit. p. 66/7).

11. Impositivo, desta forma, um provimento judicial que resguarde o direito dos Autores, como têm proclamado nossos Tribunais:

"AÇÃO DE NULIDADE DE ATO JURÍDICO. TUTELA ANTECIPADA. CONCESSÃO PARCIAL. REQUISITOS. RECURSO IMPROVIDO. Presentes na petição inicial os requisitos necessários previstos no artigo 273 e incisos I ou II, do Código de Processo Civil, e suficientemente indicados, de maneira clara e precisa as razões do convencimento do Juiz, e ainda, não emergindo perigo de irreversibilidade, poderá ser antecipada a tutela, total ou parcialmente." (TA/PR - 5ª CC - Ac. 6423 - Agravo de Instrumento n.º 103.301-6 - Rel. Juiz Convocado Tufi Maron Filho).

E ainda:

"RESCISÃO DE COMPROMISSO DE COMPRA E VENDA - IMÓVEL FINANCIADO - ACORDO CELEBRADO - OBRIGAÇÃO ALTERNATIVA TRANSFERÊNCIA DO FINANCIAMENTO OU PAGAMENTO DO SALDO DEVEDOR NO PRAZO ESTIPULADO - ADEMAIS, PAGAMENTO DE PARCELAS PARA A APELADA SEM ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA - INADIMPLEMENTO CARACTERIZADO - RECURSO IMPROVIDO. Não cumprindo a compromissária compradora o acordo celebrado deixando de transferir o financiamento para o seu nome junto ao agente financeiro ou não efetuando o pagamento do saldo devedor, caracterizou-se o inadimplemento a ensejar a rescisão do contrato e a reintegração de posse da promitente vendedora." (TA/PR - 4ª CC - Ac. 6241 - Apelação Cível n.º 81.186-3 - Rel. Juiz Convocado Lauro Laertes de Oliveira).

12. A jurisprudência não vacila ao enfrentar a matéria, como se vê da decisão abaixo:

"AÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO CUMULADA COM REINTEGRAÇÃO DE POSSE E PERDAS E DANOS - COHAB - FINANCIAMENTO - INADIMPLEMENTO - PROCEDÊNCIA - APELO DO RÉU IMPROVIDO. Rescinde-se o contrato de compromisso de compra e venda, por falta de pagamento do saldo devedor, quando em seu corpo estiver contida a possibilidade para tal." (TJ/PR - 4ª CC - Ac. 8318 - Apelação Cível n.º 21362500 - Rel. Des. Wilson Reback).

13. A respeito do tema o artigo 475, do Novo Código Civil pontua:

"A parte lesada pelo inadimplemento pode pedir a resolução do contrato, se não preferir exigir-lhe o cumprimento, cabendo, em qualquer dos casos, indenização por perdas e danos." No mesmo sentido, o artigo 389 do mesmo Diploma Legal reza que "Não cumprida a obrigação, responde o devedor por perdas e danos, mais juros e atualização monetária segundo índices oficiais regularmente estabelecidos, e honorários de advogado."

14. As perdas e danos, portanto, deverão ter como base a importância desembolsada pelos Autores, devidamente corrigida e acrescida de juros moratórios, referente:
a) às custas para o ajuizamento da Notificação Judicial, conforme recibos em anexo (docs. ...); b) aos honorários advocatícios contratados para a propositura da mencionada notificação (doc. ...); e, c) aos honorários advocatícios contratados para a apresentação de defesa nos autos n.º ........., em trâmite perante a .... Vara Cível desta Capital, referentes à Ação Sumaríssima de Cobrança proposta pelo Condomínio Residencial ......... contra o primeiro Autor (doc. ...).

DOS PEDIDOS

a) o deferimento, "in limini litis", com fundamento no artigo 273, inciso I do Código de Processo Civil, da antecipação parcial dos efeitos da tutela, a fim de se determinar a expedição de mandado de desocupação do imóvel em face da Requerida até que se declare, em decisão definitiva, a rescisão do contrato firmado entre as partes;
b) a citação da Requerida para, querendo, contestar a presente ação, sob pena de revelia (CPC - art. 285);
c) a produção de todas as provas em direito admitidas;
d) seja julgada procedente a pretensão deduzida, decretando a rescisão do Contrato de Compromisso de Compra e Venda sub judice, com a conseqüente condenação da Requerida nas perdas e danos daí resultantes, a ser apurada em regular liquidação de sentença;
e) a condenação da Requerida no pagamento das custas processuais e honorários advocatícios.

Dá-se à causa o valor de R$ .....

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura do Advogado]
[Número de Inscrição na OAB]


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Imobiliário
Ação renovatória de locação de imóvel comercial
Impugnação à contestação, ante à falta de provas de realização de benfeitorias pelo locatário, re
Direitos de preferência
Locação de imóvel para fins residenciais e comerciais mediante fiança
Construção civil, cujo objeto consiste na execução de projeto de reforma do prédio
Contestação à ação de despejo em que a ré alega a entrega das chaves pela legítima locatária do i
Cessão de direitos oriundos de contrato de compromisso de compra e venda de imóvel (01)
Locação de imóvel para fins exclusivamente comerciais
Compra e venda de imóvel residencial à vista
Ação de despejo por falta de pagamento, cumulada com ação de cobrança de alugueres e demais encar
Interlocutória - Despejo por infração contratual
Compra e venda de unidade imobiliária residencial