Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Civil e processo civil Impugnação à contestação, reiterando-se o pedido de reintegração de servidor público, além de indenização por dano moral sofrido

Petição - Civil e processo civil - Impugnação à contestação, reiterando-se o pedido de reintegração de servidor público, além de indenização por dano moral sofrido


 Total de: 15.244 modelos.

 
Impugnação à contestação, reiterando-se o pedido de reintegração de servidor público, além de indenização por dano moral sofrido.

 

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA .... VARA DA FAZENDA PÚBLICA DA COMARCA DE ....

AUTOS Nº ......

....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., por intermédio de seu (sua) advogado(a) e bastante procurador(a) (procuração em anexo - doc. 01), com escritório profissional sito à Rua ....., nº ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., onde recebe notificações e intimações, vem mui respeitosamente, nos Autos nº ...., de Ação Ordinária de anulação de ato jurídico cumulada com reintegração em cargo público, que move em face do Município de ...., à presença de Vossa Excelência apresentar

IMPUGNAÇÃO À CONTESTAÇÃO

pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos.

DA PREJUDICIAL DE MÉRITO - INCIDENTE DE FALSIDADE

Refuta o documento de fls. ...., juntado pelo ora Requerente, afirmando ser o mesmo documento juntado pelo Requerido às fls. ...., mas que contém informações diferentes.

Aponta a diferença de informações do documento mencionado no item, que se refere ao estágio probatório. No documento apresentado pelo Requerente, no item que refere-se à indagação: "ENCONTRA-SE EM ESTÁGIO PROBATÓRIO", a resposta é não. E no documento apresentado pelo Requerido, a resposta é sim.

Acusa o Requerente de ter adulterado a informação acima, além de ter incluído no mesmo documento a frase: "Reintegrado, conforme decisão do Inquérito Judicial, para a apuração de falta nº .... da ....ª Junta de Conciliação e Julgamento, em ....".

Requereu a prova pericial e a instauração de incidente de falsidade.

Não obstante, as acusações do Requerido são totalmente infundadas, uma vez que, o documento juntado às fls. ...., pelo Autor, é cópia devidamente autenticada pelo próprio Requerido, em data de ...., conforme se comprova pela autenticação na cópia, feita pela Secretaria Municipal da Administração e Divisão de Microfilmagem e Reprografia da Prefeitura Municipal de ....

Isto posto, dessume-se que o documento juntado pelo Requerido é que não confere com o original. Além do que, na cópia juntada pelo Requerente, em seu verso, há alguns despachos dando andamento no processo, confirmando mais uma vez ser verdadeira a cópia do Processo Disciplinar.

Por sua vez, a cópia juntada pelo Requerido, está em branco em seu verso, demonstrando não ser cópia autêntica do verdadeiro processo.

Além do que, o Requerido confessa às fls. ...., que a cópia juntada pelo autor encontra-se microfilmada em seus arquivos, e que os originais arquivados não foram encontrados até a data da apresentação da contestação. Pugnou pela posterior juntada.

Com as afirmações acima, o Requerido demonstra sua desorganização, confessando que não localizou os autos arquivados e que, a cópia juntada pelo Requerente foi da microfilmagem.

Assim, é patente que a cópia juntada pelo Requerido não confere com o original, conforme atestou com comprovada má-fé. Por sua vez, a cópia juntada pelo Requerente refere-se ao processo em si, inclusive com o andamento processual no verso e atestando a ordem seqüencial do Processo Administrativo (constando na parte superior da folha à direita o nº de fls. ....).

Já no documento juntado pelo Requerido não há qualquer numeração seqüencial. De onde denota-se não ser extraído do processo disciplinar, dando a impressão de ser um documento produzido, eivado de vícios.

É absurda a afirmação de que o Requerente procedeu a anotação de sua reintegração, conforme decisão do Inquérito Judicial, para a apuração de falta nº ...., da ....ª Junta de Conciliação e Julgamento, em .... Consoante consta do próprio Processo Administrativo juntado pelo Requerente, restou devidamente comprovada a sua reintegração, sendo procedimento normal da Administração Pública, anotar em sua Ficha de informações funcionais que foi reintegrado.

Portanto, mais uma evidência de que o documento juntado pelo Requerido, às fls. ...., dos Autos, foi forjado.

No tocante ao requerimento de posterior juntada do Processo Administrativo pelo Réu, cabe ressaltar que o momento processual para a juntada de documentos destinados a provar suas alegações, corresponde ao prazo para a resposta (art. 297 do CPC c/c 188 CPC).

Considerando que o processo administrativo que o Requerido solicita a juntada posterior não refere-se a documento novo, é irrefutável que houve preclusão temporal para tal.

Deste modo, o Requerente concorda com a instauração do incidente de falsidade, onde restará totalmente demonstrada suas alegações exordiais, comprovando a má-fé do Requerido.

DO MÉRITO

Alega não ser o Requerido estável no serviço público, afirmando que a cópia do Processo Administrativo nº ...., que juntou aos Autos, demonstra que aquele foi exonerado com base no Boletim de Estágio Probatório, como servidor não estável. E que pelo relatório da CPAD (fls. .... a ....), evidencia que a exoneração se deu pelo não preenchimento dos requisitos necessários ao exercício da função pública, quais sejam: idoneidade moral, dedicação ao serviço, eficiência, assiduidade e disciplina, que devem ser verificados quando do estágio probatório.

Como demonstrado na inicial, o Requerido era estável no serviço público, inclusive constando em sua ficha funcional essa informação, não há falar-se em estágio probatório, muito menos em exoneração, uma vez que o servidor estável somente pode ser demitido, em virtude de sentença transitada em julgado ou mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa.

Deste modo, as alegações do Requerido são inverossímeis, no que tange ao estágio probatório, tentando dissimular o direito à estabilidade como servidor, que o requerente tem garantido. Inclusive, havendo demissão arbitrária e discriminatória por perseguição política e dispensa obstativa à aposentadoria do Requerente, que estava a menos de dois anos para se concretizar.

O próprio dispositivo legal que ensejou a defesa do Requerido confirma o direito adquirido do Requerente, quanto à estabilidade de servidor público. O art. ...., da Lei Municipal nº ...., prevê que os servidores celetistas que ingressarem no novo regime, terão seus contratos individuais de trabalho extintos automaticamente, no momento da transformação dos respectivos empregos em cargos, ficando assegurado aos seus ocupantes a contagem do tempo de serviço para fins de aposentadoria e disponibilidade.

Insiste o Requerido, que o Requerente estava em estágio probatório. Alega que, no caso de estar o Servidor em estágio probatório, deve ser acompanhado pela Chefia imediata e suas atividades avaliadas segundo Boletim de Avaliação.

Alega que o parecer da chefia imediata classificou o Requerente como "não apto", Junta Processo Administrativo nº ...., que firma ter tramitado conjuntamente com o processo nº .... (fls. .... a ....), de Inquérito Administrativo, através da Portaria nº .... (fls. ....).

Pelas próprias informações do Requerido, se ambos os processos administrativos tramitaram conjuntamente, apensados, por que estaria desaparecido apenas o Inquérito Administrativo, que foi juntado cópia autenticada pelo Requerente?

Causa estranheza tal situação exposta pelo Requerido, ainda mais quando questiona documento constante deste Processo Administrativo n-º ...., que alega estar desaparecido (fls. ....). Além do que, admite às fls. ...., dos Autos, que todos os processos são microfilmados. Então, por que motivo estariam a questionar a autenticidade de documento fornecido pela própria Administração Municipal?

Não há falar-se em estágio probatório, logo o Processo Administrativo nº ...., juntado pelo Requerido às fls. .... "usque" ...., está eivado de irregularidades, sendo passível de nulidade a "exoneração" do Requerente.

Apregoa ainda, que o Inquérito Administrativo é procedimento específico para apurar o abandono de cargo e é impulsionado a partir da avaliação de desempenho (fls. .... e seguintes) ou de relatório circunstanciado, acerca das faltas do servidor. Alega, que conforme a Lei Municipal 1.656/58, art. 19, o Servidor pode ser demitido ou exonerado quando contar 30 faltas consecutivas ou 90 alternadas ao serviço.

Conforme documentos ora juntados, constata-se que o Requerente encontrava-se doente, em razão de acidente de trabalho que sofreu, em fase de convalescença, tendo juntado atestados médicos justificando suas faltas. Em anexo, juntamos atestados e receitas médicas comprovando o alegado.

Além do que, configurando o absurdo da perseguição que sofreu, foi proibido de assinar cartão-ponto, por certo período, sendo que posteriormente tomou conhecimento que lançaram faltas em todos esses dias.

Na audiência instrutória restará totalmente comprovado que o Requerente não teve todas faltas que lhe impuseram, com o fim precípuo de prejudicar-lhe.

Se faz necessário reiterar, que não foi proporcionado ao Requerente o direito a ampla defesa e contraditório, como demonstrado na inicial. Feriu também o Requerido os princípios: da legalidade, ao contrariar Normas e Princípios Constitucionais e Lei Municipal; da motivação dos atos administrativos; da segurança jurídica e da estrita legalidade administrativa, ao não obedecer os prazos previstos nos processos de natureza disciplinar.

O Requerido afirma ser o ato exoneratório perfeito. Novamente, insiste estar o Requerente em estágio probatório e que tal fato admite o cabimento de ato exoneratório, decorrente da conclusão de inconveniência na manutenção do servidor no serviço público.

Alega que a exoneração foi motivada e que baseou-se em fatos concretos. Baseia suas afirmações em suposta declaração do Requerente em sua avaliação de desempenho às fls. ...., dos autos, com o seguinte teor: "Pois não cumpro as tarefas pela defasagem do vencimento não percebo risco."

Faz menção também às fls. ...., que contém relatório do diretor do departamento, informando sobre a conduta do Requerente. Além de mencionar documento de fls. ...., onde estão relacionadas 105 faltas cometidas por aquele no período compreendido entre .... e ....

Primeiramente, vale ressaltar que no documento de fls. ...., não há qualquer assinatura do Requerente. As alegações de que não cumpria as tarefas não são relativas a este. Foram incluídas, de forma arbitrária, com o intuito de prejudicá-lo, como restará demonstrado na fase instrutória.

O relatório apresentado pelo Diretor de Departamento é suspeito, uma vez que este empreendia perseguição ao Requerente, por suas opções políticas.

Quanto às faltas, o documento constante do inquérito administrativo não corresponde à verdade. Corrobora-se as alegações, pelos atestados médicos ora juntados. Observe-se o período de .... a ...., constou 10 faltas ao serviço. Pela cópia do atestado ora juntado, verifica-se que o Requerente esteve internado no período de .... a .... O atestado original foi entregue à Administração Municipal, sendo totalmente desconsiderado por esta.

Além do que, como mencionado anteriormente, houve um período em que o Requerente foi proibido de assinar cartão-ponto, alegando sua desnecessidade, porque havia mudado de regime jurídico, para estatutário. De má-fé foram lançadas faltas em seus cartões-ponto nesses dias, o que restará definitivamente comprovado em Audiência Instrutória.

Verifica-se, por ato que o Requerente, que era servidor público estável, foi invalidamente demitido, sem motivação e eivado de irregularidades, sendo passível de nulidade a sua perda do cargo público.

Impugna-se os seguintes documentos:

- fls. .... - Impugna o referido documento, uma vez que totalmente forjado, contestando sua autenticidade, não correspondendo à cópia fiel do verdadeiro documento que constava do Processo Administrativo às fls. .... e ...., sendo juntada a verdadeira cópia autenticada pelo requerente, às fls. ....;

- fls. .... a .... - Refere-se a Processo Administrativo para verificação do cumprimento dos requisitos do estágio probatório. Totalmente incabível e nulo, uma vez que como demonstrado vastamente, o Requerente não encontrava-se em estágio probatório, sendo servidor público estável, não estando submetido a avaliação a esse título.

DOS PEDIDOS

Pelo todo exposto, o Requerente ratifica "ipsis literis" o disposto na Exordial, pedindo a total procedência do pedido, consistente na reintegração ao quadro de servidores municipais e condenando o Requerido ao pagamento de indenização pelo dano moral sofrido, em montante a ser arbitrado por Vossa Excelência, além dos valores remuneratórios de todo o período em que ficou afastado.

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura do Advogado]
[Número de Inscrição na OAB]


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Civil e processo civil
Ação de busca e apreensão de veículo, em face de inadimplência referente a contrato de compra e v
Ação de repetição de indébito decorrente de cobrança ilegal de taxa de seguro-incêndio, iluminaçã
Ação de alimentos com pedido de prisão
Medida cautelar de sustação de protesto (02)
Interposição de embargos de declaração, ante sentença obscura
Ação popular de habilitação como assistente
Ação declaratória cumulada com indenização por dano moral referente a protesto indevido de título
Ação de investigação de paternidade
Impugnação à contestação, reiterando-se que os fatos ocorreram conforme a narração na peça exordi
Pedido de manutenção de posse, em decorrência de turbação causada por animais sob custódia de viz
Embargos de declaração para fins de pré-questionamento (03)
Recurso adesivo de apelação