Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Civil e processo civil Embargos de devedor, sob alegação de inexistência de negócio jurídico entre as partes

Petição - Civil e processo civil - Embargos de devedor, sob alegação de inexistência de negócio jurídico entre as partes


 Total de: 15.244 modelos.

 
Embargos de devedor, sob alegação de inexistência de negócio jurídico entre as partes.

 

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA ..... VARA CÍVEL DA COMARCA DE ....., ESTADO DO .....

....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., por intermédio de seu (sua) advogado(a) e bastante procurador(a) (procuração em anexo - doc. 01), com escritório profissional sito à Rua ....., nº ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., onde recebe notificações e intimações, vem mui respeitosamente à presença de Vossa Excelência propor

EMBARGOS DO DEVEDOR

em face de

....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., com fulcro nos arts. 736 e seguintes do CPC, e demais dispositivos legais aplicáveis à espécie, pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos.

PRELIMINARMENTE

DA ILEGITIMIDADE DO EXEQÜENTE

No tocante ao cheque supra referenciado, observe-se que é nominal à .... (vide fls. ....), não tendo, portanto, o embargado, a necessária legitimidade ativa "ad causam" para executá-lo.

Destarte, a ninguém é dado pleitear em juízo direito alheio.

DO MÉRITO

Nos termos do incluso instrumento particular, em data de .../..../..., a embargante adquiriu, junto à firma .... (naquele ato representada por ...., um terminal telefônico de classe residencial, pelo valor de R$ .... (doc. nº ....).

Tendo a ora embargante, naquela mesma data, pago integralmente o preço respectivo (doc. nº ....), a .... (representada por .... - vide doc. nº ....) entregou-lhe a inclusa Solicitação de Transferência Definitiva do Direito de Uso do Terminal Telefônico nº ..., vinculado ao contrato nº ...., já assinada pelo seu titular Sr. .... (doc. nº ....).

Ocorre que, em Reclamação Trabalhista proposta por .... contra .... (autos nº ....), perante o MM. Juízo da ....ª Junta de Conciliação e Julgamento, desta ...., foi penhorado o terminal telefônico supra citado.

Mesmo tendo interposto Embargos de Terceiros, a ora embargante veio perder o aludido terminal telefônico em definitivo, por ter a Justiça do Trabalho entendido que aquela alienação fora feita em fraude à execução, consoante se pode constatar da cópia integral do processo (doc. nº ....).

Em razão dos fatos acima narrados, a embargante veio a interpelar a Sra. .... (representante legal da ....), para reembolsar-se da importância que pagara ou receber outro terminal telefônico, em substituição ao telefone que ela adquirira (através da ....) e perdera, sem contudo lograr êxito.

Constituindo-se o terminal telefônico em recurso primordial para o exercício de suas atividades, em .../.../..., a embargante buscou adquirir outro, vindo a fazê-lo junto a outra empresa similar à ...., qual seja, a firma ...., onde foi atendida pela mesma Sra. ...., que lhe venderá o telefone supra (na qualidade de representante legal da ....).

Com efeito, naquela data, adquiriu, da mesma Sra. ...., o terminal telefônico nº ...., vinculado ao Contrato nº ...., pelo valor de R$ ...., consoante comprova o incluso recibo (doc. nº ....).

Naquela oportunidade, a pedido da Sra. ...., o pagamento do preço ajustado foi feito em dois cheques:

a) um valor de R$ ...., nominal a ...., ora exeqüente;

b) e outro, no valor R$ ...., nominal à própria ....

Em face da estranheza da embargante, em razão do pedido de que o cheque de R$ .... fosse nominal a terceira pessoa, a Sra. .... justificou-se alegando que tinha um débito, naquele valor, para com o Sr. ....

Tendo pago o preço, da mesma forma que na aquisição anterior, a Sra. .... entregou a ora embargante a Carta de Transferência respectiva (juntada às fls. ....), assinada por sua titular, Sra. ....

Consigne-se, a propósito, que o terminal telefônico supra (vinculado ao Contrato nº ....) foi oferecido em penhora, para garantia do juízo, na execução ora embargada.

Decorridos .... anos, entre a aquisição do primeiro e do segundo telefone, acima referidos, por ocasião do segundo negócio, a embargante não reconheceu a Sra. ....

Todavia, mais tarde, já em sua casa, examinando os documentos relativos à aquisição dos dois telefones, constatou que a Sra. ...., que lhe vendera o segundo telefone, era a mesma pessoa que lhe vendera o primeiro.

Assim, objetivando ressarcir-se do prejuízo sofrido em relação a compra do primeiro telefone, houve por bem sustar o pagamento dos cheques relativos ao segundo telefone.

Com efeito, a embargante é uma mulher de pouca cultura e informação. É uma humilde e simplória ...., que trabalha diariamente desde a madrugada, para prover seu sustento e honrar, como sempre honrou, seus compromissos financeiros.

Por óbvio, com razão, a injusta perda do primeiro telefone, que com enormes sacrifícios adquirira, deixou-a indignada.

É natural, pois, que tendo oportunidade, tenha buscado ressarcir-se junto à Sra. ....

A embargante não conhece a pessoa do embargado nem jamais realizou qualquer negócio com este.

Consoante antes narrado, e conforme provará por testemunhas, o cheque emitido pela embargante, no valor de R$ ...., foi feito nominal ao embargado, a pedido da Sra. ...., que pretendia, com o referido cheque, pagar dívida sua para com o exeqüente.

Observa-se que, a despeito de nominal ao embargado, consta do verso do referido cheque, que este se destinava ao pagamento pela aquisição de um telefone.

Consigne-se, ainda, que o recibo respectivo foi firmado pela Sra. .... (vide doc. nº ....), e que a titular do terminal telefônico adquirido era a Sra. .... (vide fls. ....).

DOS PEDIDOS

Isto posto, requer digne-se Vossa Excelência a:

a) Receber os presentes embargos e mandar seja o embargado intimado para impugná-los, querendo, no prazo de 10 (dez) dias (art. 740, CPC);
b) Deferir a produção de todas as provas em direito admitidas, especialmente depoimento pessoal do embargado, sob pena de confesso; testemunhal, cujo rol será apresentado em tempo hábil; documental, nos termos do art. 397 do CPC; e pericial, se necessária.
c) Julgar procedentes os presentes embargos, para o efeito de extinguir a execução, condenando o embargado ao pagamento das custas judiciais e honorários advocatícios a serem arbitrados.

Dá-se à causa o valor de R$ .....

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura do Advogado]
[Número de Inscrição na OAB]


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Civil e processo civil
Outorga de escritura definitiva de promessa de compra e venda
Juntada de procuração para novo procurador
Contestação à ação regressiva interposta por seguradora, denunciando-se à lide a seguradora com a
Mandado de segurança para deferimento de efeito suspensivo à apelação interposta
Contra-razões de apelo de ação de cobrança de valores locatícios
Pedido de abertura de inventário negativo
Interposição de embargos de declaração para fins de pré-questionamento (03)
Ação de repetição de indébito decorrente de cobrança ilegal de taxa de seguro-incêndio, iluminaçã
Pedido de cumprimento de cláusula contratual por parte de mutuários do SFH, ante o reajuste abusi
Ação de dano infecto (01)
Agravo de instrumento de reintegração de posse com antecipação de tutela
Ação de despejo cumulada com cobrança e pedido de reconsideração