Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Você está em:   IGF Modelos de documentos Petição Civil e processo civil Interposição de ação cautelar de atentado, ante modificação no estado da coisa, objeto do litígio

Petição - Civil e processo civil - Interposição de ação cautelar de atentado, ante modificação no estado da coisa, objeto do litígio


 Total de: 15.244 modelos.

 
Interposição de ação cautelar de atentado, ante modificação no estado da coisa, objeto do litígio.

 

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA ..... VARA CÍVEL DA COMARCA DE ....., ESTADO DO .....

DISTRIBUIÇÃO POR DEPENDÊNCIA
AUTOS Nº .....

....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., por intermédio de seu (sua) advogado(a) e bastante procurador(a) (procuração em anexo - doc. 01), com escritório profissional sito à Rua ....., nº ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., onde recebe notificações e intimações, vem mui respeitosamente, nos autos de REIVINDICATÓRIA DE IMÓVEL URBANO, à presença de Vossa Excelência propor

MEDIDA CAUTELAR INCIDENTAL DE ATENTADO

em face de

....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos.

DOS FATOS

O autor promove contra o réu ação reivindicatória de imóvel urbano constituído pela Área ".... ", situado no lugar denominado "....", nesta Cidade de ...., havido na forma da matrícula nº ...., Livro ...., Registro Geral, do Cartório do Registro de Imóveis de ...., que tramita perante este douto juízo sob o nº ....

A demanda inicial intentada neste juízo tem por finalidade a posse do terreno retro qualificado, invadido pelo réu. Em meados do mês de .... o réu, sem o consentimento do autor, ou no exercício regular de suas ações, começou a construir no imóvel uma casa, alterando, desta maneira, substancialmente a situação de fato do objeto da demanda inicial (fotos da obra inclusas).

Esta inovação no imóvel em questão vem a criar uma nova situação na coisa em litígio, inovando o estado de fato da lide. Não cabe aqui a discussão acerca de boa-fé, culpa ou qualquer elemento subjetivo caracterizante. O que se deve verificar é a construção de obra, modificando o objeto da lide principal.

A edificação é ilegal, pois conforme pode se verificar nas inclusas certidões expedidas pela Prefeitura, não detém sequer o alvará para sua respectiva construção. Ademais, após o ajuizamento da demanda originária, inclusive com a contestação ofertada pelo réu, a construção de casa no imóvel vem alterar inclusive a situação fática que serviu de sustentáculo às alegações das partes.

Tal ato praticado pelo réu revela nitidamente a figura do Atentado, prevista no Código de Processo Civil em seus arts. 879 e seguintes.

Denota-se que a obra é ilegal, pois não tem autorização judicial e, sequer, alvará para construção expedido pela Prefeitura Municipal de .... Essa obra teve seu início após o ajuizamento da demanda que discute a posse do imóvel. Por derradeiro, essa construção altera fatos e a substância do imóvel.

Vale lembrar que, essa alteração poderá implicar em pleito posterior do réu em indenizações por benfeitorias, sendo certo que a edificação, que está sendo procedida pelo réu, não é benfeitoria necessária.

DO DIREITO

São requisitos necessários para o deferimento do pleito do autor, liminarmente, a configuração do fumus boni juris e do periculum in mora. Tais requisitos estão presentes na medida em exame, como passa a demonstrar:

Do fumus boni juris:

"A lei, em não havendo previsto expressamente no procedimento de atentado, a medida liminar, não significa que esta seja vedada, principalmente tendo em vista o poder geral de cautela dado ao juiz nos arts. 797 e 798 do CPC. Aliás, o contrário é que foge a regra do processo cautelar; normalmente a urgência da medida exige que o pedido venha precedido de requerimento de concessão de liminar." (Código de Processo Civil Comentado, 2ª ed. Nelson Nery Junior, 1996 pg. 1156).

Como se verifica no ensinamento retro, a lei não veda a concessão de liminar na medida de atentado. Contudo, sendo a medida de atentado uma medida cautelar, a esta é atribuído o caráter de urgência na sua apreciação. Essa urgência procedimental de nada seria válida se as partes devessem esperar todo o procedimento ordinário até a sentença definitiva, aguardando inclusive nos casos de apelação ao Tribunal ad quem.

De acordo com os artigos 797 e 798 do CPC é dado ao juiz a capacidade, em se reconhecendo o periculum in mora e o fumus boni juris, de se conceder liminar.

Tais dispositivos referem-se às medidas cautelares, em caráter geral, não se especificando as matérias ou modalidades de medida cautelar que se utilizam da liminar. Dentro deste entendimento, a sua concessão é plausível e acatável.

Outrossim, a medida de Atentado está expressamente prevista no Código de Processo Civil, nos artigos já citados acima.

Do periculum in mora:

O réu está construindo num imóvel sob judicie, alterando-lhe a forma original, sendo, portanto, cabível a medida de atentado presente. Tal edificação, que está no seu início, é realizada sem nenhuma anuência do proprietário do imóvel. Dessa maneira, e em virtude da discussão acerca do imóvel, deve a construção ser demolida, ou paralisada totalmente até a decisão final a ser proferida nos autos principais.

Como podemos notar, a continuação da edificação poderá acarretar despesas desnecessárias ao autor no caso da confirmação da propriedade do imóvel na sentença final, com supostas indenizações por benfeitorias existentes na área ocupada. De outro lado, a edificação está sendo levada a cabo sem alvará de construção expedido pelo órgão competente da Prefeitura Municipal, que poderá acarretar multas e outras cominações legais aplicáveis ao proprietário do imóvel (ora Autor), que incidirão sobre o imóvel.

O periculum in mora também fica demonstrado extreme de dúvidas no fato de que se não interrompida a construção que se inicia no local em litígio, ao final do processo, poderia constituir ao autor um pagamento de benfeitoria realizada durante a discussão acerca do terreno invadido, e, portanto, ilegal, já que somente seriam porventura devidas as benfeitorias necessárias realizadas anteriormente à discussão da reintegração de posse. Destarte, tal discussão futura somente acarretaria prejuízos, os quais são perfeitamente evitados se interrompidas as obras de imediato.

DOS PEDIDOS

Posto isso, e para evitar alteração do objeto da lide principal e dispêndios ao autor futuramente, requer a V. Exa a concessão de decisão liminar, no rumo de determinar ao réu que se abstenha de continuar a construção iniciada, até o final da lide originária, sob pena de lhe ser arbitrada multa, sem prejuízo de pagamento de indenização em favor do autor por perdas e danos que venha a ser sofrido em decorrência da obra ilegal.

Requer seja citado o réu para responder aos termos da presente ação, contestando-a, se quiser, no prazo de .... dias e indicar as provas que desejar produzir, prosseguindo o feito segundo as disposições do art. 803 e seu parágrafo único do Código de Processo Civil, e ao final seja julgada procedente a presente medida para condenar o réu ao pagamento das custas processuais, honorários advocatícios e perdas e danos ocasionados ao autor em decorrência da obra embargada. Requer seja embargada a obra, determinando-se ao réu que se abstenha de construir na área objeto da demanda principal, sob pena de multa e outras cominações legais a serem arbitradas por esse douto Juízo.

Por derradeiro, requer provar o alegado por todos os meios em direito admitidos.

Dá-se à causa o valor de R$ ....

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura do Advogado]
[Número de Inscrição na OAB]


Veja mais modelos de documentos de: Petição - Civil e processo civil
Administração de estabelecimento comercial
Oficial de justiça
Ação cominatória, ante a alienação de veículo por parte de pessoa jurídica, sem a chancela dos de
Ação de usucapião tendo como fundamento a posse mansa e pacífica
Ação ordinária de dissolução de união estável cumulada com separação de corpos, alimentos e parti
Impugnação de crédito habilitado em insolvência
Réplica de ação de reintegração de posse por desocupação da área
Contestação à ação declaratória c/c repetição de indébito de multa condominial
Contestação à ação de consignação em pagamento, alegando-se a insuficiência do valor depositado p
Ação de execução em juizado especial de gastos com publicação e leiloeiro
Ação declaratória após a ocorrência de lesão
Contra razões em recurso especial