Clique aqui para ir para a página inicial
 

Pular Links de Navegação
»
Home
Contato
Calculadoras
Consultoria
Conteúdo
Cotações
Perfil/Testes
Serviços
Parceiros
Mapa site
[HyperLink1]
Cadastrar
 
    
Assuntos

Total de artigos: 11132
    

 

 

Carreira / Emprego - Estado civil pode influenciar na seleção de quem busca oportunidade 

Data: 26/01/2012

 
 
Se conseguir um emprego já não era fácil, dependendo do estado civil de quem procura uma oportunidade, tal tarefa pode ser ainda mais complicada. Há quem duvide, mas ser casado, solteiro ou separado pode não apenas influenciar em uma contratação, mas também decidir quem é que passa pelo crivo de um recrutador durante um processo de seleção. Ao menos, é isso o que explica a headhunter da De Bernt Entschev Human Capital, Renata Perrone.

De acordo com ela, os recrutadores costumam investigar a vida do candidato para saber se o mesmo está dentro do perfil exigido pelo empregador que oferece uma determinada vaga.

“Para uma posição em que as viagens sejam constantes, as empresas costumam preferir profissionais solteiros que, preferencialmente, não estejam cursando uma graduação no momento. Desta forma, nem a organização, nem o profissional costumam ser prejudicados”, explica.

Além disso, os solteiros costumam ser muito requisitados para transferências de cidades, já que por estarem sozinhos, os mesmos apresentam menores chances de recuar em tal contratação, especialmente se comparados aos homens casados, que geralmente costumam ser transferidos com sua família.

“Quando um profissional casado é transferido de cidade percebemos que o maior problema de adaptação se dá com sua esposa. É isso o que balança o resultado de uma transferência. Tal problema não ocorre, no entanto, com os solteiros, o que justifica a preferência das empresas neste caso”, diz Renata.

Os casados
Mas não pense você que ser casado pode ser um problema, afinal, muitas das características destes profissionais costumam ser apreciadas pelos empregadores de multinacionais, conforme aponta Renata.

“Já tive um caso de uma multinacional que preferiu contratar um profissional casado por acreditar que o mesmo era mais regrado com horário. Na ocasião, o empregador exigia um executivo responsável e organizado”, conta.

Segundo ela, tais profissionais costumam ser bem vistos por algumas organizações, e isso, justamente pela maturidade e prudência de suas decisões, afinal, por sustentar uma família os mesmos não costumam ser tão radicais em suas escolhas. “Os solteiros costumam pedir demissão com mais frequência que os casados, pois não precisam se preocupar com tantos dependentes”, informa Renata.

Divorciados
Mas e os divorciados, como ficam? Segundo a headhunter da De Bernt Entschev Human Capital, muito bem, obrigada! Na opinião dela, os divorciados são avaliados como solteiros e nada mais.

Além disso, assim como os outros profissionais, os mesmos também têm seu perfil estudado de acordo não apenas com seu estado civil, mas com sua estrutura familiar, já que para uma empresa é isso o que vale.

“Um empregador não se importa necessariamente com o estado civil do candidato, mas com o que o acompanha. Ou seja, a estrutura familiar de cada um deles. No caso de um homem divorciado, analisaremos se ele tem filhos, com quem ficam as crianças e se o mesmo está sozinho”, esclarece.



 
Referência: InfoMoney
Autor: Eliane Quinalia
Aprenda mais !!!
Abaixo colocamos mais algumas dicas :

Assunto:Perguntas:
Turismo / ViagensPacote ou planejamento por conta: o que compensa mais na hora de sair de férias?
Carreira / EmpregoCom diploma e sem emprego: o que fazer?
Investimentos / FundosFIDC: Fundos de Direitos Creditórios: boa opção para obter retorno mais elevado
Carreira / EmpregoDesperdício de tempo na equipe: cabe ao líder tentar controlá-lo!
Salário e negociação na carreiraE quando a promoção prometida não vem...o que fazer?
Modelos de documentosTentativa de recuperar cliente
Defenda-seFraudes: Seguros e Planos de Saúde
Carreira / EmpregoSer um profissional muito ocupado nem sempre é bom sinal; veja as situações!
AposentadoriaMil casos de fraudes com empréstimo consignado são registrados por mês
Negócios / EmpreendedorismoErro no atendimento pode custar muito caro